Minha experiência com a Mi Band

Os gadgets estão sendo cada vez mais parte de nossas vidas ao ponto deles começarem ser vestíveis em nosso corpo. Além de estar o dia todo carregando um smartphone de um lado pro outro, podemos também ter acessórios funcionais (ou não) que estão, de certa forma, atachados ao nosso corpo. São os wearables.

Essa foi a minha primeira experiência própria com um device deste tipo. Enquanto os smartwatches ainda não são algo tão interessante, os trackers estão já no mercado há algum tempo, dos modelos mais simples (Mi Band, Nike Fuelband, Shine Misfit, Jawbone) até alguns mais complexos, como o Microsoft Band. No meu caso, eu optei pelo tracker da Xiaomi.

A Xiaomi (até o momento que eu escrevi este artigo) está entrando agora no mercado brasileiro através da venda direta. Por ora, apenas um modelo de smartphone e uma powerbank estão  disponíveis  para a venda, enquanto a Mi Band ainda está por vir.

Mi Band

Basicamente um tracker é um aparelhinho que vai te acompanhando durante o dia todo para fazer medições de quantidade de passos que você dá durante o dia e a sua qualidade de sono. Ele se comunica com o seu smartphone Android ou iPhone via bluetooth para sincronia de dados e alguns featurettes a mais que vou comentar mais abaixo.

mi-band-thiago

Uma coisa a se comentar a respeito da Xiaomi é que eles tem um certo carinho quanto aos seus produtos, ao ponto de ser chamada de “Apple Chinesa”. Isso se nota pela forma com que são embalados os seus produtos. A caixa é padronizada na cor parda, apenas com o escrito “Mi” em baixo relevo. Por dentro, tudo bem organizado e a caixinha é até aveludada por dentro.

Dentro da caixa, você encontra o tracker em si, uma pulseira (que também pode ser comprada em várias cores a parte), o carregador e o manual. A Mi Band vem com uma pequena carguinha, então assim que retirar da caixa, já plugue-a no carregador e dê uma carga completa antes do uso.

A Mi Band não possui nenhum visor ou interface. Apenas 3 indicadores LED que acendem conforme a carga e o cumprimento das suas metas diárias. Ela também dá alertas vibratórios para demais funções. Toda interação da Mi Band é feita via Bluetooth com o smartphone pelo app Mi Fit.

Funcionalidades

Por ser um device bem simples, as únicas funções da Mi Band são contar os seus passos (você configura uma meta diária) e a qualidade do seu sono. Só isso.

Há a possibilidade de fazer com que a Mi Band te avise de notificações de apps do seu smartphone, como mensagens no WhatsApp, ligações, etc. Você também pode configurar um alarme silencioso que irá vibrar em um horário configurado.

Um ponto legal é que a carga da bateria da Mi Band dura, e dura muito! O tempo médio de recarregamento é de umas duas horas via USB. Essa carga durou comigo, me acompanhando diariamente, por mais de 40 dias!

bateria-mi-band

Minha experiência

Basicamente, estou satisfeito com a minha Mi Band. O que eu queria a princípio era um gadget que pudesse me acompanhar durante minhas atividades esportivas e também que pudesse fazer a medição da qualidade do meu sono (que assim como eu suspeitava, eu não tenho dormido bem). É algo bem discreto pelo seu tamanho, a resistência à água ajuda bastante já que você vai acabar esquecendo que está usando e indo pro banho ou pra piscina com ela. As funções de despertador  e notificações são interessantes, principalmente a primeira por ser mais sutil.

Mas, o que o gadget oferece é isso e somente isso. Essa é uma categoria que ainda vai evoluir muito, mas pelo momento, se você não é um esportista no mínimo casual, talvez isto não seja interessante pra você.

Maiores informações sobre a Mi Band Mi Band.